logo Raja Ventures

Saiba o que são fundos de investimento neste guia completo do Raja Ventures

Fundos de investimento representam uma modalidade de aplicação financeira que agrupa recursos de vários investidores – conhecidos como cotistas – para realizar investimentos em conjunto. 

Em sua essência, um fundo funciona como um grande “cofrinho”, no qual os investimentos são geridos por profissionais especializados, permitindo que até mesmo investidores com menos experiência no mercado financeiro possam se beneficiar de oportunidades diversificadas de investimento.

Ou seja, entender o funcionamento dos fundos de investimento é fundamental para quem busca expandir seu portfólio e otimizar o retorno sobre seus ativos. 

Com uma diversidade de fundos disponíveis, que variam conforme o perfil de risco e os objetivos de cada investidor, esta modalidade de investimento se apresenta como uma opção versátil e acessível para a construção de um patrimônio sólido ao longo do tempo.

Ao prosseguir com este conteúdo, você terá a oportunidade de compreender os mecanismos pelos quais os fundos de investimento operam, conhecer os diferentes tipos existentes e os benefícios que podem oferecer. 

Além disso, discutiremos os riscos envolvidos e como você pode se posicionar estrategicamente ao selecionar um fundo para investir. 

Por isso, prepare-se para adquirir o conhecimento necessário para tomar decisões de investimento mais informadas e alinhadas com seus objetivos financeiros.

O que são fundos de investimento? 

Fundos de investimento são mecanismos que permitem a investidores reunir seus recursos para investir coletivamente em uma variedade de ativos financeiros. 

Cada participante do fundo adquire cotas, que representam uma fração do patrimônio total do fundo e, consequentemente, dos investimentos realizados com esse patrimônio. 

Ao adquirir uma cota, o investidor passa a possuir uma parte dos ativos que compõem o portfólio do fundo, sem necessariamente ter que comprar os ativos individualmente.

Esses fundos são administrados por gestores profissionais, cuja responsabilidade é selecionar e gerenciar os ativos de maneira eficiente. 

O gestor decide quando comprar ou vender ativos com o objetivo de gerar o melhor retorno possível para os cotistas, alinhado à política de investimento do fundo e ao perfil de risco estabelecido.

Os fundos de investimento podem investir em uma ampla gama de ativos, incluindo ações, títulos de renda fixa, moedas, commodities e até mesmo outros fundos. 

A diversificação é uma das principais vantagens dessa modalidade de investimento, pois permite que riscos sejam distribuídos entre diferentes ativos, reduzindo o impacto de possíveis perdas.

Além disso, fundos de investimento são regulados por órgãos competentes, como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no Brasil, o que traz um nível adicional de segurança para os investidores. 

Os fundos também são obrigados a publicar informações como relatórios de desempenho e composição da carteira, proporcionando transparência na gestão dos recursos.

Investir em fundos de investimento é, portanto, uma forma acessível de se expor a diversos mercados e classes de ativos, com a vantagem de contar com a expertise de gestores profissionais na tomada de decisões de investimento. 

É uma opção que se adequa tanto para investidores iniciantes quanto para os mais experientes que desejam otimizar seu tempo e recursos.

Por que fundos de investimento são uma opção para investidores? 

Porque os fundos de investimento oferecem uma série de atrativos que os tornam uma opção considerável para investidores de diferentes perfis. 

Primeiro, eles possibilitam o acesso a um portfólio diversificado de ativos com um investimento inicial muitas vezes menor do que seria necessário para replicar tal diversidade de forma independente. 

Isso significa que mesmo com um montante limitado de recursos, um investidor pode ter exposição a uma gama de investimentos que, individualmente, poderiam estar fora de seu alcance financeiro.

Mais do que simplesmente facilitar o acesso, fundos de investimento proporcionam a gestão profissional desses ativos. Os gestores de fundos são especialistas no mercado financeiro, com conhecimento avançado e ferramentas sofisticadas para tomar decisões de investimento.

Para o investidor individual, isso traduz-se em economia de tempo e esforço, já que não precisa acompanhar de perto o mercado ou realizar análises complexas para decidir onde investir. Aliás, a conveniência é outro fator fundamental. 

Fundos de investimento simplificam o processo de investimento ao consolidar ganhos, perdas, distribuições e reportes fiscais em uma única fonte. 

Isso significa um menor volume de papelada e uma administração mais simples, liberando o investidor para se concentrar em seus objetivos de longo prazo, em vez de se preocupar com a gestão diária de seus investimentos.

Inclusive, a regulamentação a que os fundos de investimento estão sujeitos promove um ambiente de transparência e segurança. 

Os investidores têm a garantia de que as práticas do fundo estão em conformidade com os regulamentos do setor, o que inclui a obrigação dos gestores de agir no melhor interesse dos cotistas.

Por fim, a liquidez é um aspecto importante. Muitos fundos de investimento permitem que os investidores resgatem suas cotas com relativa facilidade, o que significa que podem acessar seu dinheiro sem ter que vender ativos individuais, que podem ser menos líquidos.

Em suma, fundos de investimento são uma opção valorizada por oferecerem diversificação, gestão profissional, conveniência, transparência e liquidez, tornando-os adequados para uma ampla gama de estratégias de investimento.

Como funcionam os fundos de investimento?

fundos de investimento (2)

Fundos de investimento são estruturados para reunir recursos de diversos investidores e aplicá-los em um conjunto diversificado de ativos, com o objetivo de maximizar os retornos de acordo com uma estratégia específica de investimento.

A dinâmica por trás dos fundos de investimento

A dinâmica dos fundos de investimento é regida por um regulamento que estabelece as diretrizes de onde e como o dinheiro dos investidores pode ser aplicado. Quando você compra uma cota de um fundo, está comprando uma parcela de todos os investimentos que o fundo detém. 

Os ganhos ou perdas do fundo são então distribuídos proporcionalmente entre os cotistas, de acordo com a quantidade de cotas que cada um possui. Os gestores do fundo, que são profissionais do mercado financeiro, têm a responsabilidade de selecionar e gerir os ativos do fundo. 

Eles acompanham o mercado e realizam transações com o objetivo de gerar valor para o fundo, seja por meio de rendimentos, como juros e dividendos, seja por ganhos de capital, provenientes da valorização dos ativos.

As decisões de investimento são tomadas em alinhamento com o perfil do fundo, que pode ser mais conservador, moderado ou agressivo, a depender do nível de risco que o fundo esteja disposto a assumir. 

Fundos mais agressivos, por exemplo, podem investir uma maior parcela de seu patrimônio em ações, enquanto fundos conservadores podem focar em títulos de renda fixa.

Os investidores devem estar atentos à composição do fundo, performance passada, nível de risco e outros fatores importantes antes de tomar a decisão de investir. 

A entrada e saída de cotistas são facilitadas pelos fundos, pois geralmente permitem aplicações e resgates diários, proporcionando certa liquidez aos investidores.

Entendendo as taxas de administração em fundos de investimento

As taxas de administração em fundos de investimento são um aspecto crucial que todo investidor deve compreender. 

Essas taxas são cobradas para remunerar o gestor e a equipe que administra o fundo, bem como para cobrir despesas operacionais, como custódia e auditoria. 

Calculada como uma porcentagem do patrimônio líquido do fundo, a taxa de administração é descontada diariamente do valor total do fundo, afetando o rendimento líquido que retorna aos investidores. Aliás, a taxa de administração varia bastante entre os diferentes fundos. 

Fundos que exigem estratégias de investimento mais complexas ou que investem em mercados menos acessíveis, por exemplo, tendem a ter taxas mais altas devido ao maior esforço de gestão envolvido. 

Por outro lado, fundos que seguem estratégias mais passivas, como os fundos de índice, geralmente têm taxas mais baixas.

Além da taxa de administração, alguns fundos também cobram uma taxa de performance, que é paga ao gestor apenas se o fundo superar um determinado benchmark ou índice de referência. 

Isso serve como um incentivo para que os gestores se esforcem para obter um desempenho superior, alinhando os interesses dos gestores com os dos cotistas.

De toda forma, é crucial para o investidor avaliar se as taxas cobradas estão em linha com os serviços prestados e se são justificadas pelos retornos gerados. 

Taxas excessivamente altas podem comprometer significativamente a rentabilidade do investimento a longo prazo, especialmente em ambientes de baixas taxas de juros. 

Portanto, ao escolher um fundo de investimento, é recomendável analisar não apenas a estratégia e o histórico de desempenho, mas também a estrutura de taxas que será aplicada ao seu investimento.

Tipos de fundos de investimento 

Os fundos de investimento são categorizados com base no tipo de ativo em que investem, cada qual com suas características e níveis de risco associados. 

Sendo assim, conheça agora os principais tipos: fundos de renda fixa, fundos de ações, fundos multimercado e fundos imobiliários.

Fundos de renda fixa

Fundos de renda fixa são uma modalidade de investimento que aplica a maior parte do patrimônio em ativos de renda fixa, como títulos públicos, CDBs e debêntures. 

Esses fundos são conhecidos por sua previsibilidade de retornos, onde os rendimentos podem ser atrelados a taxas de juros pré ou pós-fixadas. 

Eles são considerados uma opção mais conservadora, apropriada para investidores que buscam menor volatilidade e riscos mais baixos.

A segurança oferecida pelos fundos de renda fixa decorre da natureza dos ativos que compõem o portfólio, geralmente garantidos pelo governo ou por entidades corporativas de alta credibilidade. 

Eles podem ser uma escolha interessante para compor a parcela de reserva de emergência ou para investidores com horizonte de investimento de curto a médio prazo.

Contudo, mesmo sendo considerados menos arriscados, os fundos de renda fixa não são isentos de risco. 

Eles estão sujeitos ao risco de mercado, principalmente relacionado às variações nas taxas de juros, e ao risco de crédito, caso o emissor do título não honre seu compromisso. 

Portanto, é importante que o investidor entenda as especificidades de cada fundo de renda fixa, como a sua composição e a gestão realizada, antes de realizar a aplicação.

Fundos de ações

fundos de investimento (3)

Fundos de ações alocam predominantemente seus recursos em ações negociadas em bolsa de valores. Esses fundos oferecem a possibilidade de retornos mais elevados, mas também estão associados a um maior nível de risco e volatilidade.

São indicados para investidores com uma tolerância maior ao risco e que buscam crescimento de capital no longo prazo. Os gestores desses fundos realizam análises detalhadas do mercado e das empresas, buscando identificar aquelas com potencial de valorização. 

Por essa razão, os fundos de ações podem oferecer uma exposição diversificada a diferentes setores da economia, o que seria mais complexo e custoso para um investidor fazer individualmente.

Investir em fundos de ações permite que o investidor se beneficie do conhecimento e da experiência dos gestores na seleção de ações, mas é importante estar ciente de que o desempenho desses fundos está diretamente ligado às flutuações do mercado acionário.

Fundos multimercado

Fundos multimercado são veículos de investimento versáteis que têm a liberdade de investir em uma variedade de classes de ativos, incluindo renda fixa, ações, câmbio e commodities. 

Eles são conhecidos pela flexibilidade na gestão, o que permite ao gestor do fundo ajustar a estratégia conforme as mudanças no cenário econômico. A estratégia de um fundo multimercado pode variar de conservadora a agressiva, dependendo do perfil do fundo. 

Alguns podem focar em estratégias de longo prazo, enquanto outros podem realizar operações mais especulativas. 

Eles são apropriados para investidores que buscam diversificação em um único produto e estão dispostos a aceitar um certo nível de volatilidade em busca de maiores retornos.

Os fundos multimercado podem utilizar alavancagem financeira para potencializar os resultados, o que pode tanto ampliar os ganhos quanto as perdas. 

Por isso, é importante que o investidor compreenda a estratégia do fundo, seu perfil de risco e as ferramentas utilizadas na gestão dos ativos.

Fundos imobiliários

Fundos imobiliários (FIIs) são fundos que investem em ativos do mercado imobiliário, como imóveis, projetos de desenvolvimento ou papéis financeiros relacionados ao setor, como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). 

Eles representam uma alternativa para investir em imóveis sem a necessidade de adquirir o bem físico, oferecendo liquidez e a possibilidade de diversificação.

Os rendimentos dos FIIs podem vir de aluguéis de propriedades, venda de imóveis ou rendimentos de títulos imobiliários, e são distribuídos periodicamente aos cotistas. 

Esses fundos são atraentes para investidores que buscam uma fonte de renda passiva e para aqueles que desejam se expor ao mercado imobiliário com menos capital e de uma maneira mais prática.

Como qualquer investimento, os FIIs também estão sujeitos a riscos, como a volatilidade do mercado imobiliário e a possibilidade de vacância dos imóveis. 

O sucesso de um FII pode depender de vários fatores, incluindo a gestão eficiente do portfólio, a localização e qualidade dos imóveis e as condições macroeconômicas que impactam o setor imobiliário.

Vantagens dos fundos de investimento 

Investir em fundos de investimento oferece vantagens significativas, como diversificação de ativos e gestão profissional, tornando-se uma opção estratégica para otimizar portfólios e buscar melhores resultados.

Diversificação de ativos com fundos de investimento

A diversificação é uma técnica de gestão de risco que espalha o investimento entre diferentes ativos financeiros. 

Esta é uma das vantagens centrais dos fundos de investimento, permitindo que investidores tenham acesso a um portfólio com uma ampla gama de ativos em diferentes classes e segmentos do mercado. 

Um fundo de investimento pode incluir ações de várias empresas, títulos de renda fixa, moedas estrangeiras, commodities e outros instrumentos financeiros.

Ao diversificar, os fundos de investimento ajudam a reduzir o impacto negativo que qualquer ativo individual pode ter no portfólio global. Se um ativo ou setor não performar bem, o desempenho positivo de outros pode ajudar a compensar as perdas. 

Essa mistura de ativos também aproveita o potencial de diferentes setores e geografias, potencializando a probabilidade de retornos ajustados ao risco.

Para investidores individuais, alcançar um nível semelhante de diversificação poderia requerer um capital significativo e um conhecimento aprofundado do mercado. 

Fundos de investimento, portanto, democratizam o acesso a uma diversificação sofisticada, que muitas vezes é construída e ajustada por especialistas com base em análises de mercado detalhadas e tendências econômicas.

Gestão profissional e fundos de investimento

Outra vantagem significativa dos fundos de investimento é a gestão profissional que eles oferecem. 

Os fundos são administrados por gestores de fundos experientes e qualificados, que dedicam seu tempo integralmente ao monitoramento e análise do mercado para fazer escolhas informadas de investimento. 

Essa expertise é especialmente valiosa em mercados voláteis ou incertos, onde decisões rápidas e fundamentadas podem fazer a diferença entre lucros e perdas.

Os gestores de fundos usam seu conhecimento para identificar oportunidades de investimento e ajustar o portfólio do fundo quando necessário, seja para capitalizar tendências emergentes ou para mitigar riscos. 

Para o investidor individual, ter esse nível de gestão profissional significa não precisar manter um acompanhamento constante dos mercados ou realizar a complexa tarefa de selecionar e gerir uma variedade de ativos.

A gestão profissional também se estende à administração e ao cumprimento regulatório do fundo, garantindo que esteja em conformidade com as leis e regulamentos relacionados a investimentos. 

Isso não apenas protege os interesses dos investidores, mas também assegura uma transparência e integridade operacional, que é essencial no ambiente de investimento moderno.

Riscos associados aos fundos de investimento 

Embora os fundos de investimento apresentem várias vantagens, eles também estão sujeitos a riscos, incluindo os riscos de mercado e de liquidez, que os investidores devem compreender e considerar cuidadosamente.

Entenda os riscos de mercado em fundos de investimento

Os riscos de mercado referem-se à possibilidade de os investimentos de um fundo perderem valor devido a fatores econômicos, políticos ou eventos globais que afetam o mercado financeiro como um todo. 

Variações nas taxas de juros, flutuações cambiais, crises econômicas e alterações na política governamental são todos exemplos de eventos que podem impactar os mercados e, por sua vez, a performance de um fundo de investimento.

É importante que os investidores entendam que nenhum fundo está imune às oscilações do mercado e que tais movimentos podem afetar negativamente o valor de suas cotas. 

Por exemplo, um fundo de ações pode sofrer perdas significativas durante um mercado em baixa, enquanto um fundo de títulos de renda fixa pode ser afetado por mudanças nas taxas de juros.

Para mitigar os riscos de mercado, os gestores de fundos empregam diversas estratégias, como diversificação e hedging, mas os investidores ainda devem estar cientes de que tais medidas não eliminam completamente o potencial de perdas. 

Portanto, é essencial que os investidores escolham fundos que se alinhem com seu perfil de risco e horizonte de investimento.

Liquidez e fundos de investimento

A liquidez em fundos de investimento refere-se à facilidade com que os investidores podem resgatar suas cotas e converter seus investimentos em dinheiro. 

Embora muitos fundos proporcionem liquidez diária, permitindo que os cotistas façam resgates a qualquer momento, alguns tipos de fundos podem impor prazos de resgate ou períodos de carência que limitam a liquidez.

Fundos que investem em ativos menos líquidos, como imóveis ou certos tipos de títulos privados, podem enfrentar desafios ao tentar vender esses ativos rapidamente sem incorrer em perdas significativas. 

Isso pode impactar a capacidade do fundo de atender a solicitações de resgate em períodos de alta demanda. Além disso, taxas de resgate, que são cobradas para desencorajar retiradas frequentes, podem também influenciar a liquidez efetiva para o investidor. 

É crucial que os investidores entendam as políticas de liquidez de um fundo e avaliem como elas se alinham com suas necessidades de acesso a recursos e estratégia de investimento.

Os riscos associados à liquidez devem ser ponderados cuidadosamente, especialmente por investidores que possam necessitar de acesso rápido ao capital investido. 

Dessa forma, os investidores podem assegurar que suas escolhas de investimento em fundos estejam em conformidade com suas expectativas e planejamento financeiro.

Escolhendo o fundo de investimento certo

Selecionar o fundo de investimento adequado envolve avaliar o perfil de risco e retorno, além de considerar o histórico de desempenho, para fazer uma escolha alinhada aos seus objetivos financeiros.

Avaliando o perfil de risco e retorno

A escolha do fundo de investimento certo começa com a avaliação do perfil de risco e retorno. O perfil de risco é pessoal e varia de acordo com vários fatores, incluindo idade, renda, objetivos financeiros e a capacidade de suportar perdas. 

Os investidores devem refletir sobre o quanto estão dispostos e podem se dar ao luxo de arriscar em troca da possibilidade de retornos mais altos.

Fatos como a composição do portfólio do fundo, a estratégia de investimento e a volatilidade histórica são indicadores cruciais do nível de risco. 

Inclusive, fundos que investem predominantemente em ações são geralmente mais voláteis, oferecendo potencial de retornos mais altos, mas com maior risco. 

Por outro lado, fundos de renda fixa tendem a ser mais estáveis, mas com expectativas de retorno mais modestas. Enquanto isso, o retorno deve ser considerado não apenas em termos absolutos, mas também em relação ao risco associado. 

Um fundo que oferece altos retornos pode não ser a melhor escolha se também vier com um risco substancialmente maior. Os investidores devem buscar um equilíbrio adequado entre risco e retorno, visando atingir seus objetivos financeiros sem assumir riscos desnecessários.

A importância da análise de desempenho histórico

Embora o desempenho passado de um fundo de investimento não seja garantia de resultados futuros, a análise do histórico pode fornecer insights valiosos sobre como o fundo pode se comportar em diferentes condições de mercado. 

Avaliar o histórico de desempenho ajuda a entender a consistência dos retornos do fundo e a eficácia da estratégia de investimento adotada pelo gestor.

Ao analisar o desempenho histórico, é importante considerar períodos de tempo suficientemente longos e comparar o desempenho do fundo com benchmarks relevantes e outros fundos da mesma categoria. 

Isso permite uma avaliação mais precisa da performance do fundo em relação a seus pares e ao mercado em geral. Além disso, é essencial examinar como o fundo se saiu durante períodos de turbulência no mercado. 

A capacidade de um gestor de fundo em navegar por mercados em baixa e limitar as perdas pode ser tão importante quanto a habilidade de gerar ganhos em mercados em alta.

Como investir em fundos de investimento? 

Investir em fundos de investimento é uma estratégia acessível para diversificar seu portfólio e pode ser iniciado com alguns passos relativamente simples. 

Antes de investir, é crucial entender seus objetivos financeiros, tolerância ao risco e as opções disponíveis para escolher o fundo que melhor se alinha às suas necessidades. Por isso, aqui está um guia passo a passo para começar:

  • Defina seus objetivos de investimento: curto prazo, longo prazo, crescimento, renda, entre outros;
  • Avalie seu perfil de risco: quanto risco você está disposto e apto a assumir?
  • Faça uma pesquisa: explore diferentes fundos e suas estratégias, taxas, desempenho passado e gestores;
  • Escolha uma instituição financeira: pode ser um banco, corretora ou gestora de fundos;
  • Consulte um assessor de investimentos para ajudar na escolha do fundo ideal para seu perfil.

Lembre-se de ler atentamente o regulamento e a lâmina de informações essenciais do fundo antes de aplicar seu dinheiro. 

Afinal, esses documentos contêm informações cruciais sobre a política de investimento do fundo, riscos, taxas, mínimos para aplicação e resgate, entre outros.

Monitoramento e rebalanceamento de fundos de investimento  

Uma parte essencial da gestão de um portfólio de investimentos é o monitoramento e rebalanceamento periódico. 

Isso significa acompanhar regularmente o desempenho dos fundos de investimento escolhidos e ajustar a alocação de ativos quando necessário para manter o alinhamento com os objetivos de investimento e o perfil de risco do investidor.

Acompanhar o desempenho dos seus investimentos envolve verificar não apenas os retornos, mas também quaisquer mudanças nas condições de mercado, na estratégia de fundo ou no perfil de risco. 

Ou seja, isso pode ser feito através de relatórios periódicos fornecidos pela gestora do fundo ou pela sua corretora, assim como pelo acompanhamento de notícias e análises de mercado relevantes.

O rebalanceamento do portfólio de fundos de investimento é geralmente recomendado quando houver uma mudança significativa no valor dos ativos, resultando em uma distribuição de ativos que não reflete mais a estratégia de investimento desejada. 

Outro momento para rebalancear pode ser após mudanças nas circunstâncias pessoais do investidor ou em suas metas financeiras de longo prazo.

Contudo, é importante estabelecer um cronograma para revisar e, se necessário, rebalancear o portfólio, que pode ser semestral ou anual, dependendo da volatilidade dos ativos e da estratégia de investimento adotada. 

Em suma, manter o equilíbrio desejado entre os diferentes ativos ajuda a manter o nível de risco em cheque e a maximizar o potencial de retorno dos investimentos.

Implicações fiscais dos fundos de investimento  

fundos de investimento (4)

A tributação de fundos de investimento no Brasil segue regras específicas que variam de acordo com o tipo de fundo. É importante entender essas regras para cumprir com as obrigações fiscais e otimizar a carga tributária sobre os rendimentos.

Em fundos de renda fixa e fundos de ações, o Imposto de Renda é retido na fonte no momento do resgate das cotas, e a alíquota varia conforme o prazo de aplicação. 

Já os fundos imobiliários possuem isenção de IR sobre os rendimentos distribuídos, desde que atendidas certas condições, como o fundo ter no mínimo 50 cotistas e suas cotas serem negociadas exclusivamente em bolsa ou mercado de balcão organizado.

Na declaração de Imposto de Renda, os valores investidos em fundos devem ser declarados na ficha de “Bens e Direitos”, especificando o tipo e o CNPJ do fundo. 

Os rendimentos recebidos e o Imposto de Renda retido na fonte devem ser informados na seção “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

Integrando fundos de investimento à sua estratégia financeira

Fundos de investimento podem ser uma ferramenta poderosa para diversificar seu portfólio e buscar ganhos ajustados ao risco. 

Ao considerar os diversos tipos de fundos e alinhá-los com seus objetivos financeiros e perfil de risco, você pode aproveitar as oportunidades que o mercado oferece. Para aqueles interessados em investir em Startups, o Raja Ventures surge como um aliado estratégico, apoiando negócios inovadores e contribuindo para o desenvolvimento do ecossistema empreendedor. 

Por isso, conheça agora o portfólio do Raja e veja como se transforma ideias em negócios e lançamos para o mundo.

E para mais informações e insights sobre investimentos, continue acompanhando o Blog do Raja Ventures!

Fundos de investimento representam uma modalidade de aplicação financeira que agrupa recursos de vários investidores – conhecidos como cotistas – para realizar investimentos em conjunto.  Em sua essência, um fundo funciona como um grande “cofrinho”, no qual os investimentos são geridos por profissionais especializados, permitindo que até mesmo investidores com menos experiência no mercado financeiro […]